Eilis Lacey (Brooklyn) Christine McPherson (Lady Bird) são duas personagens interpretadas por Saoirse Ronan no cinema, e ambos deram a ela uma chance de ganhar um Oscar de “Melhor Atriz“. O que essas duas mulheres possuem em comum? O jornal The Indian Express listou algumas semelhanças. Confira:

Saoirse Ronan tem apenas 23 anos e já recebeu três indicações ao Oscar. Seu último filme, Lady Bird, foi indicado a cinco categorias, incluindo Melhor Atriz (Ronan), Melhor Atriz Coadjuvante (Laurie Metcalf) e Melhor Fotografia. Saoirse foi nomeada ao Oscar por “Atonement“, “Brooklyn” e “Lady Bird“, dois destes três filmes lidam com temas semelhantes de amor e desejo. Amar e desejar um lugar – Sacramento em Lady Bird, e Irlanda e Nova York em Brooklyn.

Existem outros paralelos que podem ser apontados entre os dois filmes indicados pelos Oscar, o de um relacionamento tenso com a mãe e o tema de encontrar a si mesma e suas raízes.

Brooklyn é uma história dolorosa de uma jovem entre o amor de sua nova cidade e as pessoas pelas quais se apaixonou ao descobrir o novo lugar e a sua casa antiga, onde ela nasceu e cresceu. Ronan é tão bela quanto sua personagem Eilis Lacey no drama. Seu rosto, em cenas onde a câmera se aproxima, está iluminado em um retrato com sensação de tristeza e realização. O que Eilis escolherá? O amor romântico de uma nova cidade nos mares ou o amor e o calor da nostalgia da sua casa irlandesa?

Nem muitos descrevem Brooklyn de John Crowley como um filme jovem-adulto, mas ele marca todas as caixas do gênero – uma jovem tenta se encontrar enquanto se muda para outro país, luta por relacionamentos de todos os tipos e com um novo emprego. O que pode ser mais jovem-adulto do que todas essas coisas?

A Lady Bird de Greta Gerwig também é, como foi descrito por muitos, um drama jovem-adulto. Trata-se de uma adolescente – Christie – que insiste em ser chamada de Lady Bird porque quer esculpir um espaço para si mesma, que não é ditado ou definido por seus pais, então ela começa dando-se um nome estranho. Ela também não gosta de Sacramento, onde mora. Sacramento não é grande o suficiente para Lady Bird espalhar as asas e voar, ela quer deixar o lugar e se mudar para onde a jovem Eilis de Brooklyn se mudou: Nova York, onde “os escritores vivem na floresta“, diz Lady Bird à sua mãe chata durante uma cena hilariante.

Tanto Eilis quanto Lady Bird compartilham um relacionamento um tanto apertado com suas mães: elas não querem que se mudem para Nova York, porém em ambos os filmes as personagens desafiam suas mães e continuam. Claro, a mãe de Lady Bird (interpretada maravilhosamente por Laurie Metcalf) é mais aberta sobre o quanto ela está desapontada com a decisão da filha.

As heroínas de Brooklyn e Lady Bird têm sonhos, que mais frequentemente perseguem egoisticamente. Sonhos que as ajudam a perceber a importância de suas cidades. Durante uma conversa pelo telefone com sua mãe, Lady Bird diz o que ela realmente sente sobre Sacramento, falando sobre o que sentiu ao dirigir para o lugar pela primeira vez.

“Eu sempre quis fazer um filme que era basicamente sobre lar, o que significa lar? É difícil vê-lo claramente quando você está lá, não é lar até você se afastar, olhar para trás e entender o que era“, disse a diretora e roteirista de Lady Bird, Greta Gerwig, sobre o filme em entrevista à People .

Há uma conversa que Christie – mais conhecida como Lady Bird -, tem com sua professora, Irmã Sarah Joan, que é especialmente significativa no estabelecimento do tipo de relacionamento amor-ódio que Lady Bird tem compartilhado com Sacramento:

Irmã Sarah Joan: Você claramente ama Sacramento.

Christine ‘Lady Bird’ McPherson: Eu amo?

Irmã Sarah Joan: Você escreve sobre Sacramento com muito carinho e cuidado.

Christine ‘Lady Bird’ McPherson: Eu estava apenas descrevendo a cidade.

Irmã Sarah Joan: Bem, parece amor.

Christine ‘Lady Bird’ McPherson: Claro, acho que presto atenção.

Irmã Sarah Joan: Você não acha que talvez sejam o mesmo? Amor e atenção?

A grande diferença entre o amor de Eilis e Lady Bird por suas cidades de origem é a forma como o expressam. Enquanto Lady Bird não se importava, Eilis vai ao mar ao reivindicar seu amor tanto pelo Brooklyn quanto pela Irlanda. Analisemos, por exemplo, a cena em que Ellis guia outra mulher sobre como superar a saudade de seu lugar de nascença:

Eilis (enquanto instrui novos imigrantes): “Você tem que pensar como um americano. Você sentirá tanta saudade de casa que irá querer morrer, e não há nada que você possa fazer sobre isso, além de suportá-lo. Mas você vai, e não vai matá-lo. E um dia o sol irá sair – você pode nem sequer notar imediatamente, será tão fraco. E então você vai se pegar pensando em algo ou em alguém que não tem conexão com o passado. Alguém que é só seu. E você perceberá… Que é aqui que sua vida está“.

No que diz respeito ao amor romântico, Lady Bird e Eilis têm uma parcela justa de altos e baixos, mas o primeiro caso de amor que tiveram em suas cidades natais ocupa uma boa parte de suas vidas.

Fonte | Traduzido e adaptação – Equipe Saoirse Ronan Brasil

 

 

Posts relacionados: