Saoirse Ronan concedeu uma entrevista ao jornal Irish Times em 17 de Fevereiro, onde falou sobre fama, os escândalos de Hollywood, e o referendo do aborto na Irlanda. Confira:

Você não iria adivinhar que Saoirse Ronan carregou as expectativas de uma nação em seus ombros estreitos. A arte de ser Saoirse é, possivelmente, a arte de não parecer desconcentrada. Sua atuação esconde seus esforços. Ela parece flutuar atrás de performances em ondas de despretensiosa sinceridade. Sem aparecer em escândalos, fazendo barulho ou expondo opiniões agressivas, ela assegurou três nomeações ao Oscar antes de completar 24 anos. (Jennifer Lawrence é a única outra pessoa a ter conseguido esse feito)

Sua participação em Atonement lhe rendeu uma indicação a melhor atriz coadjuvante em 2008. Dois anos atrás, em um ano memorável do cinema irlandês, ela recebeu uma indicação para melhor atriz por Brooklyn. Agora, concorrendo na mesma categoria por interpretar uma adolescente com temperamento difícil no maravilhoso Lady Bird de Greta Gerwig, ela tem a sua melhor chance de levar o prêmio.

Quando a conheci, tinha acabado de me encontrar com o também indicado Daniel Kaluuya em outra festa da imprensa. Ele me pediu para dizer ‘oi’.

“Ah, eu o amo,” ela gaguejou. “Eu disse para ele outro dia: ‘Você não parece nenhum um pouco desconcentrado por isso.”

Ele não parece desconcentrado? E ela? Desde que a temporada de premiações começou no começo do outono, realizou cada aparição na mídia com uma classe genial que não se pode simplesmente fingir. Ela parecia completamente inabalável.

“Bem, você precisa fazer se é capaz,” ela diz. “Mas você também precisa ser uma pessoa segura o suficiente. E você precisa de pessoas ao seu lado para que digam: ‘Lembre-se de quem você é.’ É muito fácil de ficar envolvido nisso. De ser consumido por isso. É tudo que estamos fazendo no momento. Para mim, a coisa boa é que é minha segunda vez adequada.”

Ronan tinha 13 anos quando foi indicada por Atonement. Então ela não foi empurrada através de toda a a rigorosa manopla de prêmios.

“É, pela segunda vez e meia. Ha ha! Tendo passado por tudo isso, você sabe que quando março acabar irá avançar para a próxima coisa. Nesse estágio, parece que isso vai continuar para sempre.”

Leia mais

Saoirse esteve em Londres divulgando Lady Bird e conversou com a entrevistadora Hazel Hayes sobre o filme. Assista:

Saoirse está na capa de Fevereiro da revista The Wrap, a edição especial mostra novos portraits dos homenageados do ‘Palm Springs Film Festival‘ deste ano. Saoirse também concedeu uma entrevista exclusiva que ainda será transcrita pela nossa equipe. Confira as fotos e os scans na nossa galeria:

INICIO > ENSAIOS FOTOGRÁFICOS | PHOTOSHOOTS > 2018 > THE WRAP

INICIO > REVISTAS | MAGAZINE SCANS > 2018 > THE WRAP | FEVEREIRO

Ela foi carregada para um set de filmagem antes mesmo de poder andar; Hoje, uma Saoirse de 23 anos aguarda o resultado de sua terceira indicação ao Oscar, fala para a AnOther sobre ética no trabalho e a nova Hollywood…

Quando apareceu em frente a milhões de espectadores do Saturday Night Live em dezembro, Saoirse Ronan começou corrigindo a eterna pronúncia errada se eu primeiro nome, com uma cantiga musical que explicou que “Saoirse” rima com “inércia”. Com uma mistura de vogais gaélicas, seu nome foi mutilado de diversas formas por apresentadores de talk shows e profissionais de verificação ao redor do mundo. A esperteza e limitação da irlandesa de 23 anos no lendário show de comédia antes apresentado por muitos como Scarlett Johansson e Kristen Stewart foi algo inteligente para sua trajetória em ascensão em Hollywood, mas também foi o momento em que a atriz foi permitida ser engraçada. Com sua essência volátil, dedicação obsessiva e papel de tornesol sensitivo nas telas, muitos diretores parecem ter levado as habilidades de Ronan tão a sério que colocaram comédias, e até adolescentes normais e bagunceiras em seu caminho. Levada a um set de filmagem antes mesmo de andar, a atriz batizou “Meryl Reborn” de Ryan Gosling como um hábito de atuação usado por veteranos duas vezes mais velhos que ela, fazendo um caleidoscópio de personagens fortes e imprevisíveis e desvios complicados. Teve a feroz assassina adolescente criada em um deserto congelado em Hanna, de Joe Wright; uma andarilha gótica no não-conto-de-fadas de Ryan Gosling encharcado de neon, Rio Perdido; uma vampira de 200 anos em Byzantium, de Neil Jordan; uma imigrante irlandesa com saudade de casa em Brooklyn, de John Crowley; e a estudante de classe alta do sudeste inglês com impecáveis vogais grampeadas que causou tragédias com poucas mentiras em Atonement, o papel que lhe rendeu sua primeira indicação ao Oscar com apenas 13 anos.

Mas com Ronan mostrando sua face palhaça nas esquetes do SNL, incluindo o papel como uma anfitriã pateta com um influxo de surpresa de pequenos cães, ficou claro que ela possui um desvio para comédia, e o aventureiro filme independente de Greta Gerwig canalizou tudo isso em sua estréia no gênero com Lady Bird. A história brilhante e idiossincrática sobre o amadurecimento no ensino médio se passa em 2002 em Sacramento, cidade natal da diretora, Ronan interpreta uma adolescente rebelde que está contra a mãe e a monótona cidade onde vive, com cabelo vermelho vivo e roupas de brechós, testando suas asas conforme é arremessada em direção à vida adulta. Uma mistura de impulsividade e insegurança, a representação de Ronan da personagem principal se torna engraçada e de partir o coração. “Eu amo comédia mais que tudo. Eu cresci assistindo comédias brilhantes, e eu sabia que seria uma das coisas mais difíceis de fazer,” ela diz hoje, sendo sincera em uma suíte de hotel em Londres conforme a chuva escorre pelas janelas. “Acredito que filmes como Lady Bird podem ser mais realistas que dramas teatrais porque as pessoas não realmente falam série o tempo todo – nós mascaramos as situações difíceis da vida com humor. Até mesmo em casa, um dos melhores dias do ano será o dia de ir a um funeral, porque todo muito está realmente muito triste mas você consegue iluminá-los, fazê-los rir. É um traço muito realista.”
Leia mais