Durante o mês de Fevereiro Saoirse promoveu Lady Bird na Inglaterra, a atriz concedeu várias entrevistas para a imprensa e algumas já estão disponíveis no youtube, confira:

Saoirse Ronan foi a escolhida para estampar a capa de Fevereiro da AnOther Magazine, está é a segunda capa de revista que ela estrela no mês de Fevereiro. O ensaio está lindo e você pode conferir todas as fotos na nossa galeria

INICIO > ENSAIOS FOTOGRÁFICOS | PHOTOSHOOTS > 2018 > ANOTHER MAGAZINE

INICIO > REVISTAS | MAGAZINE SCANS > 2018 > ANOTHER MAGAZINE | FEVEREIRO

Saoirse é capa e recheio da edição de Fevereiro da The Sunday Times Style, ela e a diretora Greta Gerwig concederam uma entrevista para a revista e conversaram sobre Lady Bird, o set de filmagens e muito mais, confira as fotos e a entrevista completa abaixo:

INICIO > ENSAIOS FOTOGRÁFICOS | PHOTOSHOOTS > 2018 > THE SUNDAY TIMES STYLE

Eu ouço as risadas antes de chegar à porta da suíte no hotel Soho, em Londres, onde encontro Greta Gerwig, 34, e Saoirse Ronan, 23 – ambas “mulheres do momento” graças à grande estreia do filme dirigido por GerwigLady Bird. É uma fria e úmida noite de sábado, onde as duas não se viam desde as filmagens, há alguns meses. Agora, elas estão sentadas frente a frente de mãos dadas e pernas dobradas no sofá, falando intensamente. Greta com seu lânguido jeito californiano de falar e Saoirse com seu surpreendente irlandês. As mulheres demoram cinco minutos para pararem de relembrar seus dias no set, fofocar sobre projetos recentes e quem assistiu ao filme desde o lançamento antes de notarem que eu estou no quarto.

Animadas, cativantes e positivas, ambas confessam que a experiência de fazer parte de Lady Bird é “muito especial“; na verdade, é muito difícil exagerar no relato da reação crítica à este filme jovem-adulto. O anfitrião do The Late Late Show disse que foi um dos melhores filmes que ele já viu. Desde o lançamento na América, em novembro, Lady Bird já recebeu dois Globos de Ouro, incluindo um de Melhor DireçãoGerwig foi apenas a quinta mulher a ser indicada nesta categoria durante os 90 anos de história da premiação.

Ao longo de um ano, entre o outono de 2002 e 2003 na cidade de SacramentoCalifórnia (onde Gerwig cresceu), segue a adolescente Christine “Lady Bird” McPherson (Saoirse Ronan), uma jovem mulher em desacordo com sua mãe (uma enfermeira como a mãe de Gerwig, interpretada por Laurie Metcalf). sua rigorosa escola católica e sua casa no lado errado da estrada, “onde os escritores vivem na floresta“, um lugar onde ela pode se reinventar.

Lady Bird não é o primeiro filme escrito por Gerwig, ela já criou vários roteiros com seu namorado Noah Baumbach (The Life AquaticFrances HaMistress America). Os dois se encontraram no set da comédia romântica Greenberg (O Solteirão), e juntos formam o pincel de um conjunto dolorosamente jovem do cinema independente, com escritores, diretores e atores americanos, incluindo Wes AndersonJesse EisenbergAdam Driver Lena Dunham.

Agora, em Lady BirdGerwig encurralou o diagrama indie perfeito em Thimothée Chalamet (Call Me By Your Name), Lucas Hedges (Three Billboards Outside Ebbing, Missouri) e Ronan, que foi avaliada por Ryan Gosling como “um gênio” e “nova Meryl Streep“. Para a própria Ronan, já com um Globo de Ouro e indicações ao OscarLady Bird parece ser um filme jovem-adulto. “Saoirse tem o que os grandes também tem, o que Meryl tem, o que Julianne Moore tem“, diz Gerwig. “É o que você sempre espera em um ator.

SR: Eu estava pensando em te perguntar, qual foi a primeira cena de Lady Bird que você escreveu?

GG: A primeira cena que eu escrevi foi em 2013, de uma garota na escola, quando alguém pergunta de onde ela vem, ela responde Sacramento, e quando ele diz que ouve errado, ela diz São Francisco. Eu fiquei atraída pelo tópico de como, em certo ponto de sua vida, você inevitavelmente nega de onde é. Isso faz parte do crescimento. No início de 2015, saí e tentei arrecadar dinheiro para o filme. A maioria das pessoas que tem dinheiro para investir são homens. Se eles tiverem irmãs ou uma filha, eles recebem este filme. Mas se eles não tiverem, eles dizem: “As mulheres realmente podem lutar assim?“, e eu: “Oh, sim! Bem-vindo ao melhor show do mundo!” Embora não seja autobiográfico, definitivamente as coisas são tiradas da minha experiência. Na verdade, minha mãe disse a frase mais engraçada para mim, eu mostrei o filme aos meus pais e ao meu irmão…

SR: O que eles disseram?

GG: Eles amaram. Eles me ligaram chorando e eles estavam tão emocionados! Porém minha mãe me disse algo muito engraçado: “Você gostaria que eu tivesse lhe dado um crescimento mais silencioso.” [Risos]

SR: Eu assisti o filme pela primeira vez em outubro, com minha melhor amiga. Nós bebemos uma taça de vinho branco antes de assistirmos porque eu estava muito nervosa, mas nós ficamos com o braço ao redor da outra o tempo todo. Mesmo que eu soubesse o que iria acontecer eu ria em um momento e chorava histericamente em outro. É sobre a linda luta que é ser uma adolescente, crescendo, mudando e conhecendo a si mesma, tendo consciência da mudança do relacionamento. Eu me identifiquei muito com Lady Bird. O grande impacto sobre como você escreveu a personagem é que ela não tem noção do quão grande e especial ela é, e tem um grande senso da importância de pertencer a um lugar, um tempo em sua vida.

GG: E também pertencer a si mesma.

SR: Exatamente.

GG: Nós nunca nos encontramos antes desse filme, né? Eu não tinha ideia de como você seria.

SR: Eu poderia ser um pesadelo.

GG: Você realmente poderia.

SR: Talvez eu tenha sido e você apenas não está contando!

GG: Você teve um vínculo amoroso com toda a equipe.

SR: Eu gosto de sair com o pessoal da equipe quando eu estou trabalhando, e é por isso que, normalmente, eu não perco nada assistindo ao corte final de um filme. Na maioria das vezes, eu não estou fazendo um filme por isso, eu estou fazendo porque trabalho com pessoas brilhantes. Eu acho que definitivamente há algo irlandês na minha cabeça que me diz para não querer ser o centro das atenções na sala, também.

GG: Foi um sonho para me estar do outro lado da câmera. Eu sempre quis dirigir, e sentar no fundo do teatro e assistir outras pessoas atuando o que eu escrevi foi a coisa mais viciante que já fiz. Nunca usei heroína, mas tenho certeza de que a sensação é essa. Eu sou louca por todos os meus atores, quando eu os vejo, fico com lágrimas nos olhos. Eu já disse que preciso parar de dizer que choro quando vejo eles. [Risos.] Mas é verdade, eu realmente os amo!

SR: Talvez eles digam apenas para não chorar tanto. [Risos.]

GG: Não chorar tanto, eu sei. [Risos.] Também, sua mãe é uma mulher mágica.

SR: Sim, ela é. Ela é um ser humano perfeito.

GG: Quando eu a vi pela primeira vez, ela fez chá e biscoitos para mim, isso foi tão fofo!

SR: Ela foi ao Whole Foods, isso foi antes de vocês aparecem lá, nós estávamos escolhendo a cor para o meu cabelo e minha mãe ficou tipo, “depois eu farei alguns biscoitos e cupcakes para eles“, e eu disse “mãe, não!” Quando ela voltou com a sacola cheia de coisas, eu fiquei tipo: “Mãe, pra que tanto? Eles provavelmente querem uma salada ou algo do tipo.” Mas não.

GG: Eu quis os biscoitos, eu quis todos os biscoitos!

SR: Você contou a alguém sobre os Cheetos?

GG: Não, eu não contei a ninguém. Eu comi uma quantidade tremenda de Cheetos.

SR: Ela gosta do sabor de queijo natural, mas uma variedade crocante. Ela cheira eles por 60 segundos, do começo ao fim.

GG: Eu estava abastecida com eles. Tinha um código no set, com todo mundo que tinha um walkie-talkie. Eles disseram: “Nós precisamos da Greta no set.” Eu perguntei: “O que é uma Greta?” E eles responderam: “Cheetos e uma Coca-Cola Diet.” [Risos.] Eu pensei, isso é tão triste, tudo que estou comendo é produto químico.

SR: Tinha tanto amor no set!

GG: Muito amor! Cada foto que tenho de nós duas, nós estamos abraçando uma a outra. [Risos.] Eu tive muita sorte com as pessoas que trabalhei, mas é difícil imaginar algo ou sonhar com algo se você não tem um exemplo. Eu olho para um futuro onde metade dos filmes são dirigidos por mulheres, porque eles deveriam fazer isso. E eu espero que as coisas estejam mudando para elas em Hollywood. A primeira vez que entendi que o cinema era uma arte foi assistindo Beau Travail (Bom Trabalho), de Claire Denis. Eu nunca vi nada como aquilo, e no final, quando o nome dela apareceu, eu pensei: “Bom, é um nome masculino estranho ou uma mulher dirigiu esse filme.” E uma pequena semente foi plantada em mim.

SR: Eu acho que coisas melhores estão por vir.

GG: Eu acho que sim. Eu sou amiga da Lena Dunham e a admiro – ela é mais nova que eu e eu olho para ela. Eu quero mais mulheres escrevendo e dirigindo, sendo produtoras, executivas, presidentes de empresas. Não é um erro eu ter começado a pensar neste filme logo após trabalhar com Rebecca Miller Mia Hansen-Love. Eu pensei: “Tudo bem, isso é necessário. Eu quero que Saoirse também seja uma diretora, e quero uma garota de 15 anos para assistir este filme e dizer: ‘Eu posso fazer isso.’ É essencial que motivemos umas as outras.

Fonte Tradução e Adaptação – Equipe Saoirse Ronan Brasil

Saoirse esteve em Londres promovendo Lady Bird e participou de dois programas de Radio da BBC, primeiro ela participou de um podcast na BBC Radio 2 que você pode conferir clicando aqui, e em seguida esteve na BBC Radio 1 onde foi entrevistada por Alice Levine e praticou sua expressão de perdedora de Oscar. Confira o vídeo e as fotos que já estão na nossa galeria:

INICIO > PROGRAMAS DE TV E RÁDIO | TELEVISION AND RADIO APPERANCES > 2018 > 09.02 – BBC RADIO 2

INICIO > FOTOS DE PAPARAZZI | CANDIDS > 2018 > 09.02 – DEIXANDO OS ESTÚDIOS DA BBC