Na última sexta-feira, 23, Saoirse Ronan sentou-se com Jimmy Kimmel para contar sobre seus trabalhos, sonhos e experiências, as quais, uma em especial, marcou sua primeira cerimônia do OscarSaoirse compartilhou um momento hilário que ocorreu durante uma entrevista que concedia durante sua passagem pelo red carpet, leia:

Mulher do momento e estrela de “Lady Bird“, Saoirse Ronan compareceu ao Jimmy Kimmel Live para falar sobre sua recente indicação ao Oscar.

Ronan, que já obteve três nomeações, relatou algumas anedotas das premiações anteriores do Oscar que ela compareceu, em particular, um acidente hilário que acontecera entre sua mãe e George Clooney. A situação aconteceu em sua primeira cerimônia do Oscar, aos 13 anos, pelo filme “Atonement“.

Ronan disse a Kimmel: “De toda a experiência, tudo que me lembro daquela noite, é que eu estava dando uma entrevista e estava no primeiro plano da filmagem.” Ela continuou: “Minha mãe estava no fundo, seu vestido tinha uma cauda longa e George Clooney pisou em cima, sem perceber.

A atriz explicou que sua mãe não teve escrúpulos ao pedir para um dos melhores atores do mundo tirar o pé: “Minha mãe nunca havia estado em um tapete vermelho antes, ela estava lá no fundo, tipo ‘Licença, George, licença!’ E continuou dando tapinhas nos ombros dele, porém ele não virava.” Disse. “Ela ficava cada vez mais agressiva e ele não percebia. George saiu andando e depois minha mãe veio para mim: ‘Você não vai acreditar no que acaba de acontecer comigo. Você não vai acreditar no que George Clooney fez para mim.

A entrevista completa pode ser assistida em nosso site, através do link: Saoirse Ronan participa do programa Jimmy Kimmel Live

Fonte Tradução e Adaptação Saoirse Ronan Brasil

Ela foi carregada para um set de filmagem antes mesmo de poder andar; Hoje, uma Saoirse de 23 anos aguarda o resultado de sua terceira indicação ao Oscar, fala para a AnOther sobre ética no trabalho e a nova Hollywood…

Quando apareceu em frente a milhões de espectadores do Saturday Night Live em dezembro, Saoirse Ronan começou corrigindo a eterna pronúncia errada se eu primeiro nome, com uma cantiga musical que explicou que “Saoirse” rima com “inércia”. Com uma mistura de vogais gaélicas, seu nome foi mutilado de diversas formas por apresentadores de talk shows e profissionais de verificação ao redor do mundo. A esperteza e limitação da irlandesa de 23 anos no lendário show de comédia antes apresentado por muitos como Scarlett Johansson e Kristen Stewart foi algo inteligente para sua trajetória em ascensão em Hollywood, mas também foi o momento em que a atriz foi permitida ser engraçada. Com sua essência volátil, dedicação obsessiva e papel de tornesol sensitivo nas telas, muitos diretores parecem ter levado as habilidades de Ronan tão a sério que colocaram comédias, e até adolescentes normais e bagunceiras em seu caminho. Levada a um set de filmagem antes mesmo de andar, a atriz batizou “Meryl Reborn” de Ryan Gosling como um hábito de atuação usado por veteranos duas vezes mais velhos que ela, fazendo um caleidoscópio de personagens fortes e imprevisíveis e desvios complicados. Teve a feroz assassina adolescente criada em um deserto congelado em Hanna, de Joe Wright; uma andarilha gótica no não-conto-de-fadas de Ryan Gosling encharcado de neon, Rio Perdido; uma vampira de 200 anos em Byzantium, de Neil Jordan; uma imigrante irlandesa com saudade de casa em Brooklyn, de John Crowley; e a estudante de classe alta do sudeste inglês com impecáveis vogais grampeadas que causou tragédias com poucas mentiras em Atonement, o papel que lhe rendeu sua primeira indicação ao Oscar com apenas 13 anos.

Mas com Ronan mostrando sua face palhaça nas esquetes do SNL, incluindo o papel como uma anfitriã pateta com um influxo de surpresa de pequenos cães, ficou claro que ela possui um desvio para comédia, e o aventureiro filme independente de Greta Gerwig canalizou tudo isso em sua estréia no gênero com Lady Bird. A história brilhante e idiossincrática sobre o amadurecimento no ensino médio se passa em 2002 em Sacramento, cidade natal da diretora, Ronan interpreta uma adolescente rebelde que está contra a mãe e a monótona cidade onde vive, com cabelo vermelho vivo e roupas de brechós, testando suas asas conforme é arremessada em direção à vida adulta. Uma mistura de impulsividade e insegurança, a representação de Ronan da personagem principal se torna engraçada e de partir o coração. “Eu amo comédia mais que tudo. Eu cresci assistindo comédias brilhantes, e eu sabia que seria uma das coisas mais difíceis de fazer,” ela diz hoje, sendo sincera em uma suíte de hotel em Londres conforme a chuva escorre pelas janelas. “Acredito que filmes como Lady Bird podem ser mais realistas que dramas teatrais porque as pessoas não realmente falam série o tempo todo – nós mascaramos as situações difíceis da vida com humor. Até mesmo em casa, um dos melhores dias do ano será o dia de ir a um funeral, porque todo muito está realmente muito triste mas você consegue iluminá-los, fazê-los rir. É um traço muito realista.”
Leia mais

No dia 16 de fevereiro foi transmitido um especial sobre a vida e a carreira da Saoirse no canal TV3 da Irlanda. Em entrevista para Karen Koster da Xposé, ela fala sobre sua infância em Carlow, Hollywood e sua terceira indicação ao Oscar. Assista:

O Los Angeles Times recentemente liberou uma nova entrevista com Saoirse Ronan e Greta Gerwig, em que as estrelas conversam sobre quando se conheceram, o carinho que possuem uma com a outra, sobre “Lady Bird” e muito mais. Confira na íntegra abaixo.

Se você assistiu “Lady Bird”, a história sábia e intensa sobre uma jovem mulher encontrando e afirmando enquanto lida com seus sentimentos conflitantes em relação a uma mãe que ela nunca parece agradar, então você sabe que Greta Gerwig, que escreveu e dirigiu o filme, tem um olhar atento para os detalhes.

Quer se trate do comprimento escrutado das saias na escola católica de Lady Bird, as interpretações do teatro de Stephen Sondheim durante a audição para “Merrily We Roll Along” ou a forma como a mãe de Lady Bird (uma soberba Laurie Metcalf) olha para a filha dela dormindo enquanto ela pendurava o vestido que passava a noite costurando, há uma precisão para cada cena, cada palavra de diálogo, cada momento de amor e perda.

O que faz a lembrança de Gerwig pela primeira vez que conheceu Saoirse Ronan, a atriz que viria a encarnar a heroína da escola secundária, ainda mais interessante. Elas conversaram no Skype meses antes, e agora ambas estavam no Festival Internacional de Cinema de Toronto de 2015, promovendo filmes, e Gerwig chegou ao quarto de hotel de Ronan para uma leitura adequada do script.“Saoirse abriu a porta com uma Coca-Cola e seus chinelos“, lembra Gerwig. “Somente uma simples Coca. Pensei: “Eu gosto dessa garota“.

Ronan também tinha uma sopa de cebola francesa que ela ordenou do serviço de quarto, mas ela nunca removeu o celofane protetor cobrindo a tigela porque, durante as próximas horas, as duas mulheres não fizeram nada além de ler o roteiro, rir, chorar, e sim, compartilhar algumas mais bebidas (macias) da variedade não-diet.

Reuniram-se dois anos depois em um frio no final da tarde na varanda de um quarto de hotel de West Hollywood, a posição do sol, outros convidados exibidos em seus próprios terraços (“Eu aposto que há muita degradação neste hotel“, adivinha Ronan, para o que Gerwig responde: “Não, nós… estamos apenas bebendo Coca-cola“), as duas se acomodam com cobertores, juntando as mãos ao longo de uma longa conversa sobre seu adorável filme, que foi nomeado na terça-feira para cinco Oscars, incluindo a melhor imagem e diretor, e acena com a cabeça para Ronan e Metcalf.

Eu estava lendo o roteiro, e as instruções do palco são tão evocativas quanto o diálogo. Como quando Lady Bird conhece Kyle, as instruções do palco lêem: “Ela entende todas as músicas de R&B em um segundo.” O que me faz pensar: você já experimentou esse sentimento?

Gerwig:Sim!

Ronan:Eu estava no carro recentemente e ouvi “Like a Prayer” no rádio, e eu pensei, “eu entendi agora”.

Gerwig:Eu entendo agora!

Ronan:Eu entendo o que ela estava dizendo em um nível mais profundo.

Porque você conheceu seu Kyle?

Ronan:Ah, não. Eu não diria isso. Não é um Kyle.

Gerwig:Mas você conheceu alguém especial.

Ronan:[Risos] Não, não, não necessariamente isso. E, novamente, definitivamente não é um Kyle!

Gerwig:Fui eu! Fui eu! Você me conheceu.

Ronan:Sim. Eu percebi que eu me apaixonei por Greta recentemente e Madonna fez sentido para mim.

Gerwig:[Cantando] “When you call my name, it’s like a little prayer…” Eu tinha essa experiência com alguns meninos diferentes, não que fossem recíprocos. Mas de repente eu estava de acordo, “Eu entendi. Entendi todas as músicas”.

Ronan:Isso deve ter informado esse outro meio de direção quando Lady Bird conheceu Kyle e disse que suas partes estavam em chamas.

Gerwig:[Risos] Saoirse é muito boa em tirar sarro de mim. Me lembro da primeira vez que conversamos por Skype. Não em um áudio de Skype. Um Skype visual.

Ronan:Apenas para esclarecer – eram ambos. Nós não fazíamos apenas gestos com as mãos.

Gerwig:Tivemos um encontro muito divertido no Skype.

Ronan:Nós ficamos muito frenéticas.

Gerwig:Um pouco como estamos agora.

Ronan:Mas ainda mais. Me lembro de sair daquela chamada de Skype e eu estava tipo “Jesus Cristo, eu não me senti tão viva desde os 15 anos de idade”.

Gerwig:Senti como se eu conhecesse você instantaneamente. Não apenas gosto de você, mas você está no meu coração. É por isso que eu digo que ela pode simplesmente me olhar às vezes e ser como, “O que você está pensando?” Como eu disse, ela pode tirar sarro de mim.

Ronan:Eu faço você questionar seu próprio eu interno demais?

Gerwig:Não! Eu amo isso. Eu estou associando isso com um traço irlandês, como essa capacidade de dizer: “Vejo você”.

Ronan:Isso vem do amor, Greta. Isso vem do amor.

Por que você acha que você se conectou tão imediatamente?

Ronan:Eu não sei. Mas foi instantâneo. Nós soubemos imediatamente.

Gerwig:Tivemos um ano antes das filmagens, e ela estava trabalhando em “The Crucible”. Sou uma grande crente no seu inconsciente trabalhando em coisas. Não sei se o seu inconsciente funcionou assim. Certamente, me pareceu assim.

Ronan:Isso estava sempre em minha mente.

Gerwig:Você se lembra quando eu trouxe [membro do elenco de “Lady Bird”] Lucas [Hedges] para vê-la em “The Crucible”? Ele estava sentado ao meu lado ofegante, e eu disse: “Lucas. Você nunca assistiu isso?” E ele estava tipo, “Não. Não tenho ideia do que é essa história.” E sua cabeça estava apenas explodindo. Ele ficou tão impressionado que acho que estava nervoso em atuar com você. Porque aquela peça… você estava tão bem como Abigail. Eu nunca tinha visto uma produção da mesma forma, onde você pensa, “Isso aí garota!”

Ronan:E então estava tudo certo para “Lady Bird”. Tendo saído de algo tão intenso – e eu estava realmente perdida porque era tão novo para mim, trabalhando como atriz de teatro – para entrar nos braços de Greta e estar segura era incrível. Ela cuidava tão bem de mim.

Gerwig:Eu me senti muito maternal para todos, mesmo para as pessoas que eram mais velhas.

Ronan:Até mesmo Tracy [Letts]. Não sei se devo dizer isso. No ano passado, minha mãe e eu compramos uma cachorrinha e eu falei a Tracy. Mas estou realmente entusiasmada por pegar essa cachorra e é realmente ótimo e ele disse: “Bem, você sabe o que eles dizem. “Pegue um animal de estimação. Pegue um caos.”[Risos]

Você mora com sua mãe, Saoirse?

Ronan:Eu sou uma espécie de cigana. Eu tenho uma casa em casa [ao sul de Dublin] em que minha mãe vive. Eu percebi recentemente que acho que por um bom tempo, talvez até ter filhos ou algo assim, sempre viverei entre a Irlanda e outro lugar. Porque o que Lady Bird está ansiando também é que você é uma pessoa no lugar onde você cresceu e então você é outra pessoa no lugar onde você se encontra. Definitivamente sinto isso em Nova York ou em Londres. Eu sou diferente lá de como quando estou em casa. É aí que sou capaz de ser anônima e jovem ou cometer erros e ser estúpida e tudo isso.

Gerwig:Tanto quanto uma pessoa pode amar um lugar, eu sinto que você ama a Irlanda.

Ronan:Eu sei. Estou muito orgulhosa de ser de lá.

Gerwig:Me lembro de assistir a Saoirse, porque todos os anos eu vou a uma festa do Oscar. Também vou a uma festa do Tony.

Ronan:Você?

Gerwig:Eu amo a temporada de premiação! Então, eu estava assistindo Saoirse, que era tão brilhante em “Brooklyn”, andando pelo tapete vermelho e estava vestindo…

Ronan:Verde.

Gerwig:Verde! E eu lembro de gritar: “Noah [Baumbach, parceiro de Gerwig]! Grave o pré-show!” E ele estava tipo, “Ah Deus, isso não vai acabar nunca.” Mas eu assisto todas as entrevistas. E você disse que usava seu vestido verde para a Irlanda e era seu amuleto de boa sorte e eu estava pensando: “Ela é a melhor do mundo! E ela está no meu filme!”

Você já esteve no Oscar?

Gerwig:Não! Não! Eu assisto isso na minha televisão.

Ronan:Honestamente, se você for, Greta…

Gerwig:Minha cabeça vai explodir!

Ronan:Me lembro da última vez, minha mãe e eu ficamos tão entusiasmadas porque vimos a parte de trás da cabeça do The Weeknd porque ele tinha o cabelo feito da maneira que costuma fazer. Nós quase perdemos o monólogo.

Parece que você e sua mãe têm um relacionamento muito diferente, Saoirse, do que Lady Bird e sua mãe.

Gerwig:A mãe dela é mágica.

Ronan:Uma de nós dirá ou fará algo que vai chatear a outra e ficamos com um pouco de mágoa por 10 minutos. E então a outra sentirá isso porque nos conhecemos tão bem e vamos, “O quê?” “Bem, você fez isso e isso me chateou.” E você tentará se defender e isso irá continuar por alguns minutos e depois não conversaremos por cerca de 10 minutos e depois voltaremos juntas e dizemos: “Desculpe! Sinto muito!” E essa é a extensão de nossos argumentos.

Conheço muitos amigos que tiveram relacionamentos fortes com suas mães. E eu acho, mais do que com seu pai, isso acontece com você. Esta é a pessoa de onde você veio. Isso é bastante profundo.

Gerwig:Eu briguei com minha mãe, mas nem me lembro porque eram as brigas. Nós brigamos e voltamos ao normal imediatamente. Eu tenho muitas coisas sobre as quais eu gosto em minha mãe. Nós duas temos essas personalidades extremas onde, quando é bom, nunca nos lembramos quando não foi bom, e quando estamos brigando, nunca lembramos de nos dar bem. Há uma intensidade em qualquer momento em que estamos.

Há uma cena no filme onde o pai de Lady Bird, Larry, diz a Lady Bird, “vocês duas têm personalidades tão fortes”, e minha mãe estava sentada ao meu lado no Telluride [Festival de Cinema], e ela disse: “Sim! Sim!”

Ronan:E agora ela tem o filme. Ela sabe como você se sente sobre ela. Não que ela não soubesse antes. Não existe uma citação de Tennessee Williams: “Boa arte pode levá-lo para casa”?

Gerwig:Foi o que eu queria que este filme fizesse. A razão pela qual eu gosto de arte ou quero fazer arte é conectar as pessoas de volta a si mesmas ou a suas próprias vidas através de algo específico que você está mostrando na tela.

Ronan:É isso mesmo. Uma boa música, um livro ou um filme, é só encontrar alguma coisa em você que faz você se sentir em casa.

Fonte | Tradução e adaptação – Equipe Saoirse Ronan Brasil