Saoirse Ronan Brasil

Greta Gerwig esteve em uma conferência de imprensa ontem (02/09) no festival de Telluride, para falar sobre Lady Bird. Em uma entrevista com o Los Angeles Times Greta comentou como foi escalar Saoirse para o papel principal da sua estreia na direção. Confira abaixo o que ela disse:

Entrevistador: A performance de Saoirse Ronan neste filme é extraordinária, mas acho que, como uma atriz irlandesa, ela não era a primeira pessoa que você tinha em mente para interpretar uma adolescente de Sacramento.

Greta Gerwig: Seu desempenho é incompreensível – não posso falar sobre ela sem me tornar emocional. Ela se transformou tão completamente que você não vê a transformação porque não pode ver as costuras. Tudo que você vê é essa garota. De certa forma, quase se sente como a qualidade de encontrar um desconhecido. Mesmo que ela seja Saoirse e ela tenha sido nomeada para o Oscar duas vezes, há a mesma sensação de descoberta, como, “Santo …, ela também pode fazer isso ?

Entrevistador: Como você escolheu ela?

Greta Gerwig: No Festival de Cinema de Toronto em 2015, ela estava lá para “Brooklyn” e eu estava lá para o “Plano de Maggie“. Ela recebeu o roteiro e teve uma forte reação a isso e realmente queria fazê-lo. Eu queria me encontrar com ela, porque acho que ela é incrível, mas o filme se chama “Lady Bird” e ela seria Lady Bird e isso era uma incrível tarefa.
Eu vim para o quarto do hotel com o roteiro e nos sentamos em seu sofá e bebemos Coca-cola e lemos o script inteiro em voz alta. Eu li todas as partes e ela leu a parte de Lady Bird, e eu sabia que estava certa. Ela apenas teve essa intensidade de emoção e propósito e sua inteligência estava tão concentrada que foi instantaneamente engraçado e doloroso. Ela jogou isso de forma diferente do que eu sempre ouvira na minha cabeça, mas muito melhor, o que sempre é o que você espera que um ator faça.

Fonte | Tradução e adaptação – Equipe Saoirse Ronan Brasil

Aconteceu na sexta-feira (01/09) a primeira exibição do aguardado Lady Bird, no festival de Telluride. Saoirse e o filme estão recebendo muitos elogios, então separamos algumas críticas que já foram liberadas pelos maiores sites de cinema, confira abaixo:

ATENÇÃO: CONTÉM SPOILERS

Indiewire:

 Em “Lady Bird”, uma adolescente angustiada lida com sua escola restritiva, tem seu coração partido pela primeira vez e sonha em fugir para um lugar distante. Não há nada de novo sobre essa premissa, mas por ser uma semi-biografia da diretora/escritora Greta Gerwig, e sua educação em Sacramento eleva-o para outro nível. Estrelado por Saoirse Ronan, no que que se torna seu melhor papel, o filme confirma que a presença de tela de Gerwig se traduz em uma voz cinematográfica ricamente confiante.

“A única coisa emocionante em relação a 2002 é que é um palíndroma,” geme Christine McPherson, apesar de preferir o apelido Lady Bird, enquanto a mãe Marion (Laurie Metcalf) rola os olhos enquanto os dois viajam para a cidade. Muito sobre a atitude de Lady Bird faz eco dessa ambivalência. Quando a jovem de 17 anos não está gastando seu tempo com a melhor amiga Julie (o recém-chegado impressionante Beanie Feldstein), comendo bolachas de comunhão atrás da faculdade e falando sobre meninos bonitos, ela está colocando suas vistas nas faculdades da Costa Leste que seus pais assumem que nunca poderiam pagar. Enquanto sua mão enfermeira pede a Lady Bird para pensar praticamente, seu pai (Tracy Letts, em uma turnê de coração quente) entretém a noção de ajudá-la a obter esses objetivos.

Entretanto, Lady Bird está aguardando os desafios mais prementes das peças amadoras de ensino secundário e os amargos casos de amor, articulando entre romances mal-aconselhados com o bem-humorado Danny (Lucas Hedges) e o estilista chique Kyle (Timothée Chalamet, um mundo além do adolescente gay em “Call Me By Your Name”). Como Lady Bird discute com sua mãe uma e outra vez, sua dinâmica cristaliza em uma peça central passiva-agressiva que ganha impulso à medida que a história se move. É, em última instância, um confronto entre duas mulheres que pensam que sabem o que é melhor para o futuro de Lady Bird, e até que ponto ambos estão dispostos a fazer isso.

Ao longo do caminho, o roteiro encantador de Gerwig irradia-se com as explosões cáusticas de Lady Bird contra os arredores (“o meio-oeste da Califórnia” de Sacramento) e as elevações efêmeras de festas rebeldes, bachareladas e incomodas dormidas do quarto. As sugestões de música que vão desde “Hand in My Pocket” de Alanis Morissette e “Crash Into Me” de Dave Matthews completam os detalhes do período a um grau notável sem degradar o material para uma viagem de nostalgia; Eles simplesmente aumentam o universo autônomo de vistas e sons, encorajando o jovem desejo de Lady Bird de escapar de seus arredores.
[…]
Ronan tem sido um grande talento de tela durante anos, mas nunca criou com tanta autenticidade antes. No centro de cada cena, ela é uma presença insuportável simultaneamente em desacordo com o meio ambiente e desejosa de dominá-los sempre que puder.

Continue lendo  »

Na noite de ontem (01/09), Lady Bird estreou no Telluride Film Festival, com a presença da diretora Greta Gerwig. O diretor Barry Jenkins, do aclamado “Moonlight” introduziu o filme. Assim que a exibição teve fim os primeiros comentários sobre o longa começaram a sair e até agora, todos foram positivos. Você pode conferir as primeiras reações abaixo:

LADY BIRD: roteiro inteligente, fresco, engraçado e doce conto de mãe/filha. Estreia sólida para a escritora / diretora Greta Gerwig #Telluride.


Greta Gerwig’s LADY BIRD: um doce, um pouco de história pessoal. Saoirse Ronan e Laurie Metcalf são craques, assim como Beanie Feldstein!
Continue lendo  »

Uma conversa sobre a criação de Loving Vincent, o filme animado pintado à mão sobre a vida e a misteriosa morte do artista Vincent Van Gogh foi adicionado à programação para a edição de 2017 da VIEW Conference em Turim, na Itália.

O investidor Steve Muench e os pintores/animadores de Loving Vincent Biserka Petrovic e Adam Maciejewski vão discutir como uma equipe de 120 pintores de óleo se uniram para recriar as pinturas de Van Gogh para criar o filme de 90 minutos, escrito e dirigido por Dorota Kobiela e Hugh Welchman.

Mais de 100 das pinturas de Van Gogh foram re-imaginadas para Loving Vincent, que foi o vencedor do prêmio de audiência no festival de cinema de animação Anency de junho.

Loving Vincent estreia nos Estados Unidos no próximo mês em Nova York e Los Angeles, e mais tarde no ano em várias outras cidades.

A VIEW Conference, que concentra as mais recentes técnicas e tecnologias para jogos, VR e animação, será realizada de 23 à 27 de outubro em Turim, Itália.

Loving Vincent também está previsto para estrear no 44º Festival de Cinema Telluride, que vai de 1 à 4 de setembro. A formação de estreias mundiais que serão reveladas na cidade das Montanhas Rochosas inclui Loving Vincent, um longa animado que conta a história dos quadros de Vincent Van Gogh, bem como sua vida.

Outro festival importante que o filme fará sua estreia será no Festival Internacional de Cinema de Vancouver (VIFF), que lançou uma programação dos filmes imperdíveis do ano como parte da série distinta de apresentações especiais. Esses filmes representam os contadores de histórias mais ousados do mundo e seus trabalhos excepcionais como parte do fluxo panorama do festival. Todos os filmes do VIFF são elegíveis para o prestigiado prêmio People’s Choice da Super Channel. Para determinar o prêmio, os festeiros serão convidados a votar após cada apresentação. Os resultados dessa votação também determinarão os vencedores dos outros prêmios de público. A lista completa de apresentações especiais inclui:

Loving Vincent
DIR. DOROTA KOBIELA, HUGH WELCHMAN, Polônia / Reino Unido

No notável trabalho animado de Dorota Kobiela e Hugh Welchman – “o primeiro totalmente pintado do mundo” – as pinturas de Vincent Van Gogh são trazidas à vida por meio de um mistério em que o filho do posto de bordo (Douglas Booth) em Arles tenta analisar os últimos dias do pintor. Cada um dos 65.000 quadros do filme foi pintado à mão por um dos 115 pintores de óleo profissionais, tornando “um retrato verdadeiramente inspirador… [que atrai] as audiências para o mundo delirante e hiper-sensual sugerido pela obra de Van Gogh. ” – Variety

O filme está sendo um dos mais aguardados do ano, devido a genialidade das pinturas de Vincent Van Gogh e toda a magia na trajetória deste incrível artista.

Tradução e Adaptação – Equipe Saoirse Ronan Brasil | Fonte | Fonte | Fonte

Foi divulgado hoje pela manhã que On Chesil Beach foi selecionado para o 61º Festival de Londres, onde o filme terá sua première britânica no dia 8 de Outubro.

On Chesil Beach: Doce, apaixonado, difícil – O amor é uma coisa complexa e muito esplêndida e essa seleção mostra os altos e baixos de muitos tipos de amor de todo o mundo. The Love Gala é a estreia européia da estreia cinematográfica de Dominic Cooke.

No início da década de 1960, um jovem casal em sua lua de mel luta para se conectar fisicamente nesta adaptação sensível do aclamado romance curto de Ian McEwan. Quando Florence e Edward se estabelecem para o primeiro jantar como casal, uma energia nervosa enche o ar. Mas, embora possa parecer que o marido e a esposa incipientes estão sofrendo de tremores noturnos de casamento, à medida que a noite se desenrola, torna-se aparente que outra coisa está criando uma divisão. Conduzindo incrivelmente pela conexão que eles sabem que compartilham, os dois recordam momentos de suas vidas, juntos e separados, já que a inevitabilidade da intimidade física se aproxima cada vez mais. Implicitamente adaptado para a tela pelo próprio McEwan, a estreia silenciosa e romântica de Dominic Cooke é um trabalho sutil, capturando as complexidades do material-fonte com graça e delicadeza. Como sempre, Saoirse Ronan brilha como a jovem noiva hesitante, apoiada pela crescente estrela Billy Howle, ambas expressando tanto, mesmo quando seus personagens lutam para encontrar as palavras. E, de fato, para um filme em que muitas emoções permanecem não faladas, e inúmeros sentimentos não são ditos, essa história de amor melancólica fala profundamente sobre a fragilidade das relações humanas e a natureza destrutiva do silêncio.

Confira na galeria um novo still divulgado pela conta do festival:

Inicio > Filmes | Movies > 2017| On Chesil Beach > Stills Promocionais

Fonte | Tradução e adaptação – Equipe Saoirse Ronan Brasil

Na manhã desta quinta-feira (31) foi divulgado que Lady Bird foi selecionado para o Telluride Film Festival, o filme será exibido amanhã, e ao que tudo indica, Saoirse não irá marcar presença na estreia do longa devido as filmagens de “Mary, Queen of Scots“.

Também foi anunciado hoje que o trailer de “Lady Bird” sairá na próxima semana, confira na nossa galeria um novo still e o primeiro pôster do filme:

Inicio > Filmes | Movies > 2017| Lady Bird > Stills| Inicio > Filmes | Movies > 2017| Lady Bird > Posters Oficiais

A temporada de Oscar está começando oficialmente com o 74º Festival de Cinema de Veneza. Filmes aclamados, como “Birdman“, “Spotlight” e “La La Land” começaram sua jornada no festival.

Nas montanhas no Colorado sexta-feira que vem, tem início o 44º Telluride Film Festival, que lançou nomes importantes nas temporadas passadas, como “Moonlight“, “12 Years a Slave” e “Argo“. Outros lançamentos vão acontecer nos festivais de Toronto, Nova York e Hollywood (AFI Fest) em seguida.
Novos filmes vão começar a serem lançados daqui para frente, e é esperado que tenha uma série de longas de prestígio e qualidade, vindos dos melhores cineastas do mundo. A Variety fez uma lista dos 10 filmes mais esperados para a temporada de premiações e Lady Bird está entre eles. Confira o que diz a matéria sobre o próximo projeto da Saoirse:

Lady Bird” (Greta Gerwig; A24)
A estreia da diretora Greta Gerwig apresenta a atriz Saoirse Ronan (“Brooklyn“) como uma jovem rebelde que navega pelas restrições da escola católica e da vida em Sacramento. Gerwig fez o filme no ano passado enquanto promovia outro projeto centrado na Califórnia focado em mulheres: as “Mulheres do século XX” de Mike Mills. Existem rumores de uma estréia mundial em Telluride.

Fonte | Tradução e Adaptação – Equipe Saoirse Ronan Brasil

O estilo de pintura de Vincent van Gogh é trazido à vida neste longa-metragem animado, intitulado Loving Vincent, que estrela Saoirse Ronan e que será transmitido ao vivo pela National Gallery para cinemas em todo o Reino Unido.

O 61º Festival de Cinema de Londres, em parceria com a American Express, está encantado em anunciar a estréia no Reino Unido de Loving Vincent. A transmissão será ao vivo da National Gallery na segunda-feira, 9 de outubro, o público dos cinemas em todo o país é convidado a experimentar a estréia do filme e as seguintes perguntas e respostas com convidados especiais. Os ingressos são vendidos para as exibições do Reino Unido a partir de quarta-feira, 23 de agosto, no LovingVincent.Film. Os ingressos para a estréia da National Gallery serão comercializados para os membros da BFI na quinta-feira, 24 de agosto e para o público a partir de 31 de agosto, e estarão disponíveis no site da National Gallery.

Loving Vincent explora a vida e morte polêmica de Vincent van Gogh, contada por suas pinturas e pelos personagem que as habitam. A intriga se desenrola através de entrevistas com os personagens mais próximos de Vincent e através de reconstruções dramáticas dos eventos que levaram a sua morte.

O filme estrela Douglas Booth, Jerome Flynn, Chris O’Dowd, a nomeada ao Oscar Saoirse Ronan, Aidan Turner, Helen McCrory, Eleanor Tomlinson e John Sessions. Dorota Kobiela e Hugh Welchman co-dirigiram com Hugh Welchman, também produzindo ao lado de Sean Bobbitt e Ivan MacTaggart. David Parfitt, Claudia Bluemhuber e Ian Hutchinson atuaram como produtores executivos. A trilha sonora do filme foi composta e organizada pelo nomeado ao Grammy Clint Mansell (Black Swan).

Tricia Tuttle, vice-chefe de festivais do London Film Festival, disse a respeito:

É um prazer apresentar o filme de Dorota Kobiela e Hugh Welchman, visualmente atraente, como parte do BFI London Film Festival, com a transmissão de estréia ao vivo da National Gallery para o público em todo o Reino Unido. Loving Vincent encapsula os mitos preocupantes que cercam a morte de Vincent van Gogh de forma tão elegante – uma história absorvente sobre um grande artista, entregue através de trabalhosos e belos quadros pintados à mão no estilo do próprio pintor“.

Hugh Welchman, co-diretor de Loving Vincent, disse:

O London Film Festival programa ótimos filmes e The National Gallery tem uma das grandes coleções de pintura do mundo, então não poderíamos estar mais felizes que eles se associaram para fazer uma estréia muito especial para Loving Vincent“.

O 61º Festival de Cinema de Londres, em parceria com a American Express, ocorrerá da quarta-feira, 4 de outubro a domingo, 15 de outubro de 2017. O programa completo do Festival será anunciado na quinta-feira, 31 de agosto de 2017. Loving Vincent será lançado no Reino Unido e na Irlanda pela Altitude Film Distribuição em 13 de outubro.

Tradução e Adaptação – Equipe Saoirse Ronan Brasil | Fonte

O Festival Internacional de Cinema de Toronto (TIFF) divulgou sua programação completa, informando assim que a première mundial de On Chesil Beach acontecerá no dia 07 de setembro às 18:00 (horário de Brasília) no Elgin & Winter Garden Theatre Centre, como parte da seleção de “Apresentações Especiais”, outras exibições do filme vão ocorrer nos dias 08 e 13 de Setembro. Já a première de Lady Bird será no dia 08 de Setembro ás 22:00 (horário de Brasília) no teatro Ryerson, também como parte de “Apresentações Especiais” do Festival, outras exibições do filme vão acontecer nos dias 09; 13 e 16 de Setembro. A presença de Saoirse nos eventos foi confirmada.

Além das datas e horários, o site do festival também divulgou novas informações sobre On Chesil Beach e Lady Bird, Confira:

Lady Bird:

Uma jovem rebelde (Saoirse Ronan) navega entre as pressões e constrangimentos da escola católica, e da vida em Sacramento, na estreia da diretora Greta Gerwig.

Christine McPherson, carinhosamente conhecida e autoproclamada como Lady Bird é uma senior (estudante do terceiro ano) ambiciosa, brilhante e precoce. Com vontade de se libertar do Sacramento suburbano, ela sonha com uma vida diferente, cheia de arranha-céus da costa leste, universidades da Ivy League e cultura cosmopolita.

Com notas modestas e sem conexões de ex-alunos para falar, Lady Bird precisa de extracurriculares para reforçar suas aplicações da faculdade. Participar do clube de teatro leva a novos amigos (às vezes à custa dos antigos), primeiros amores e uma vida social em pleno andamento. Lidar com sua mãe crítica e ter sucesso em matemática não é tão fácil. Com seu pai recentemente demitido, sua mãe trabalha em turnos duplos como enfermeira, e seu irmão e seu namorado, graduados de Berkeley trabalhando no supermercado, ela está vivamente ciente de que a vida pós-secundária não é uma caminhada no parque. Velha o suficiente para apreciar o que ela tem, mas nem sempre madura o suficiente para mostrar, às vezes ela só quer ir às compras para o seu vestido de baile em vez de tirar a roupa.

Navegando pelo espaço estranho entre a adolescência e a idade adulta, Lady Bird, esplendidamente trazida à vida por Ronan, é uma personagem a quem todos nos relacionamos. Com sua estréia solo na direção, Greta Gerwig continua com o charme e a inteligência de seu trabalho anterior de roteirista (Frances Ha e Mistress America), mas com uma abordagem mais sofisticada para relacionamentos pessoais e interpessoais. Incrivelmente pessoal e imensamente confiável, Lady Bird certamente será um dos filmes que definem a vinda da idade de sua geração.
Cast: Saoirse Ronan, Laurie Metcalf, Tracy Letts, Beanie Feldstein, Lucas Hedges e Timothée Chalamet.

On Chesil Beach:

Saoirse Ronan (Brooklyn) e Billy Howle (Dunkirk) protagonizam esta adaptação do aclamado romance de Ian McEwan, sobre um casal de recém-casados ​​cujo retiro de lua de mel se torna uma comédia de erros sexuais.
A história começa sedutora. “Eles eram jovens, educados e ambos virgens nessa noite de casamento“. Mas a primeira frase do romance compacto e inesquecível de Ian McEwan continua: “e eles viveram em um momento em que a conversa sobre dificuldades sexuais era claramente impossível“. On Chesil Beach tem sido chamado de uma história de terror e uma comédia, porque é sobre o que acontece quando os recém-casados ​​tentam consumar o casamento.

Saoirse Ronan e Billy Howle estrelam como Florence e Edward, um jovem casal em sua lua de mel na praia inglesa. É 1962 e está nublado. Florence é uma violinista disciplinada, criada em torno da repressão da classe média. Flashbacks mostram sua mãe (Emily Watson) esmagando todo impulso com propriedade. Edward oferece a Florença uma promessa de liberdade. Ele foi criado no campo em uma família mais volátil e encontrou libertação na literatura e idéias. Os dois chegam a uma casa de hóspedes da Chesil Beach apaixonados e prontos para começar sua vida juntos, mas irremediavelmente mal equipados para a sua primeira noite.

Adaptado para a tela pelo próprio McEwan e dirigido pelo ex-chefe do Royal Court Theatre Dominic Cooke, esta é uma anatomia muito precisa do desejo frustrado. Edward trabalhou em um estado vulcânico, mas balbuciou enquanto tentava se expressar a Florence. Ela vê o leito matrimonial com medo e repulsa. Nenhum deles sabe o que fazer a seguir, então eles realizam os rituais sociais de jantar e conversa educada até que não haja nenhum recurso para eles. Como On Chesil Beach atinge sua conclusão destruidora, ele revela uma cena rígida e primitiva de um casamento.
Cast: Saoirse Ronan, Billy Howle, Emily Watson, Anne-Marie Duff, Samuel West e Adrian Scarborough.

Ainda não foram anunciadas as datas e horários das conferências de imprensa dos filmes, assim que o TiFF divulgar, atualizaremos o post e informaremos você também através do nosso twitter.

Fonte: Programação do festival|Página de On Chesil Beach e Lady Bird no site do festival| Lista de atores que tiveram presença confirmada pelo TIFF.

Tradução e Adaptação – Equipe Saoirse Ronan Brasil

Confira detalhes sobre a produção divulgados pela Entertainment Weekly:

Saoirse Ronan, que ganhou sua segunda indicação ao Oscar com 21 anos, interpreta o ícone titular no cinema em sua vida jovem, quando se tornou Rainha da França aos 16 anos e viúva em seu aniversário de 18 anos. Josie Rourke também explorará o relacionamento de Mary com Elizabeth I (Margot Robbie), “rivais no poder e no amor, e regentes do sexo feminino em um mundo masculino“, de acordo com um comunicado de imprensa.“As duas devem decidir como jogar o jogo do casamento versus independência. Determinada a governar muito mais do que uma figura representativa, Mary insiste em seu direto ao trono Inglês, ameaçando a soberania de Elizabeth,” continua a sinopse.
Temos o privilégio de colaborar com nossos parceiros no Working Title nessa produção estrelar, e com Josie enquanto ela faz o incrível movimento do palco para a tela,” diz o presidente da Focus, Peter Kujawski via comunicado. “Com duas das atrizes mais vitais de hoje em dia trazendo a vida duas figuras gigantes, Mary, Queen of Scots será um dos eventos do cinema em 2018.

David Tennant de Doctor Who e Guy Pearce também possuem papéis, enquanto Jack Lowden (Dunkirk), Joe Alwyn (Billy Lynn’s Long Halftime Walk), Martin Compston (Sweet Sixteen) e Brendan Coyle (Downton Abbey) completam o elenco para o projeto, que foi escrito pelo indicado ao Oscar, Beau Willimon (The Ides of March, House of Cards).

Vencedores do Oscar trabalhando nesse filme incluem a figurinista Alexandra Byrne, editor Chris Dickens e maquiadora e cabeleireira Jenny Shircore.

Uma data de lançamento para o filme ainda não foi anunciada. Confira a primeira imagem oficial de Saoirse como Mary, Rainha da Escócia:

Inicio> Filmes|Movies> 2018|Mary Queem of Scots> Stills

Tradução e Adaptação – Equipe Saoirse Ronan Brasil | Fonte



Página 17 de 18« Primeira...10...1415161718



O Saoirse Ronan Brasil é um site feito por fãs que não é afiliado e/ou mantém contato de alguma forma com a Saoirse, amigos, agentes ou alguém relacionado à seus projetos. Esse site foi feito apenas para postar notícias para pessoas que como nós, admira seu trabalho e seu jeito. O SRBR não tem nenhuma intenção de lucro. Caso pegue alguma tradução ou notícia exclusiva e reproduza em seu site, nos dê os devidos créditos.